Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2017

A Abdução de Luli Oswald

Luli Oswald

Luli Oswald é o nome artístico da pianista de renome internacional e abduzida Margarida Henriqueta Marquesini que enquanto casada se chamou Margarida Henriqueta Marquesini Teixeira de Freitas. Aos dois anos e meio de idade começou a tocar piano e aos três já tocava bem. Teve 7 filhos e faleceu de infarto agudo do miocárdio em Saquarema/RJ em 2 de janeiro de 2005.

Consta nas páginas 222 e 223 do livro “Rubinstein – A life”, de Harvey Sacs, que foi filha do romance proibido do famoso pianista plebeu judeu polonês Arthur Rubinstein (1887-1982) com a nobre italiana Paola Medici (loira?), princesa de Viggiano, e que foi entregue recém nascida provavelmente em 1924 ao amigo do pai, o maestro e compositor brasileiro Henrique Oswald (1852-1931), biografado nas principais enciclopédias brasileiras, o que não ocorreu até agora em relação à Luli.

Museus da Imagem e do Som e o Arquivo Público do Estado de São Paulo também não têm documentação sobre ela. Espera-se que a Wikipédia bre…

Arquivo | Relatos extraterrestres – Vitória (ES)

C95 Bandeirante semelhante ao envolvido no caso

Em dezembro de 1977, um objeto voador não identificado foi observado por várias pessoas em Vitória, no Espírito Santo – um piloto de aeronave militar, um controlador de voo e mais sete funcionários. O relato elaborado pelo piloto e enviado aos seus superiores na Base Aérea de Salvador apresenta informações impressionantes sobre o objeto.

Nas imagens, as cinco páginas do documento, de 23 de dezembro de 1977. Fundo Objeto Voador Não Identificado.






BR_DFANBSB_ARX_170_p0001_0005

Para consultar o acervo do Arquivo Nacional, acesse: http://www.arquivonacional.gov.br/index.php/consulta-ao-acervo/sian-sistema-de-informacoes.html


FONTE: ARQUIVO NACIONAL

O mais misterioso dos planetas do TRAPPIST-1 finalmente revela alguns segredos

Agora que o TRAPPIST-1 é o sistema estelar mais badalado da galáxia, astrônomos e nerds estão clamando para que saibamos mais sobre ele. O que sabemos é que o sistema de sete planetas contém três deles na zona habitável, o que significa que eles hipoteticamente poderiam ter água no estado líquido e até mesmo vida. Também sabemos que os planetas do TRAPPIST-1 orbitam em torno de sua estrela anã ultragelada muito próximos, o que poderia ser bom ou ruim na busca por vida, dependendo de para quem você pergunte. E, agora, nós sabemos também um pouco mais sobre o planeta mais distante do bando.

Um novo estudo publicado nesta segunda-feira (22), na Nature Astronomy, confirma a órbita do planeta TRAPPIST-1h. Usando dados da sonda Kepler, da NASA, uma equipe de pesquisadores conseguiu verificar a frequência previsível com que os seis planetas mais próximos do centro orbitam sua estrela, um padrão chamado de ressonância. Os puxões gravitacionais dos planetas uns nos outros mantêm o sistema int…

Estas impressionantes simulações de galáxia parecem obras de arte

Todo mundo sabe que a cura para o tédio existencial é ouvir música, tomar sorvete e ver fotos do espaço. Embora nós não possamos fornecer o sorvete e nem a trilha sonora, podemos oferecer algumas simulações de galáxia realmente sublimes, que certamente vão preencher o seu vazio interno, durante um tempinho pelo menos.

Um estudo apresentado na Monthly Notices of the Royal Astronomical Society desse mês inclui 30 simulações em alta-resolução da formação de galáxias em disco, como a nossa Via Láctea, destacando fenômenos como o crescimento de buracos negros, o nascimento de novas estrelas, explosões supernova e mais. As imensas simulações levaram meses para serem criadas, conforme os pesquisadores rodaram seu código de modelos físicos de dinâmica das galáxias usando supercomputadores alemães como o Hornet e SuperMUC.

“Astrônomos agora vão conseguir usar o nosso trabalho para acessar uma imensidão de informações como as propriedades das galáxias satélite e estrelas muito antigas encontra…

Como a glaciação pode explicar por que as baleias são tão enormes

As baleias (subordem mysticeti) são aspiradores do mar. A baleia azul, que é uma das 12 espécies da subordem, é o maior animal do mundo, ou o maior aspirador dos mares. Ela alimenta seu corpo de 200 toneladas comendo pequenos crustáceos chamados krill, que são filtrados por meio de suas cerdas bucais. Novas pesquisas sugerem que, há milhões de anos, o sistema de filtragem dessas baleias — e uma quantidade ridícula de krill — permitiu que esses animais se transformassem em gigantes.

Um estudo que será publicado nesta quinta-feira, na Proceedings of the Royal Society B, investigou o que pode ser uma evolução relativamente recente do gigantismo em baleias. Um time de cientistas do mundo todo juntou informações de fósseis de crânios de 63 baleias extintas do National Museum of Natural History, em Washington. Alguns desses fósseis de baleia que o time estudou têm até 30 milhões de anos de idade, de acordo com o museu. Em suas análises, os pesquisadores descobriram que baleias gigantes, qu…

Este objeto planetário parece muito uma rosquinha

Por: Rae Paoletta

Planetas meio que parecem grandes bolas de basquete no espaço, flutuando por aí sem objetivo. Às vezes eles têm anéis, outras vezes eles parecem gnocchi. Em média, para a maioria do observador comum, os planetas têm o mesmo formato, mas um par de cientistas acabou de mostrar a surpresa mais deliciosa. Aparentemente, planetas em formato de rosquinha também existem.

Tecnicamente, esses objetos são chamados de “sinéstia”, uma junção de “syn” (“junto”) e “Hestia”, a deusa grega da arquitetura. Em um novo trabalho publicado no Journal of Geophysical Research, os cientistas planetários Simon Lock, da Universidade de Harvard, e Sarah Stewart, da UC Davis, defenderam que a Terra pode ter sido uma sinéstia em sua infância. Esses objetos com formato de donut podem até mesmo explicar a formação de outros planetas rochosos como Marte, Vênus e muitos outros fora de nosso sistema solar.


Imagem: Simon Lock, Harvard University

Para aprender mais sobre essas rosquinhas malucas, pesq…

Primeiro navio autônomo e elétrico estreia em 2018

[Imagem: Yara/Kongsberg/Divulgação]

Navio sem marinheiros

O primeiro navio autônomo - e, além disso, totalmente elétrico - já tem data marcada para começar a navegar.

O Yara Birkeland deverá começar a operar na segunda metade de 2018, levando produtos da fábrica de fertilizantes da Yara em Porsgrunn, até as cidades de Brevik e Larvik - todas na Noruega.

O navio elétrico e autônomo deverá substituir 100 caminhões, que fazem 40.000 viagens por ano. Ele operará exclusivamente nessa rota, um trajeto de 12 milhas náuticas, pouco mais de 22 km.

O nome do navio é uma homenagem ao cientista norueguês Kristian Birkeland, que também dá nome a correntes de plasma supersônicas na porção superior da nossa atmosfera, descobertas por ele.

Manual, remoto e autônomo

O navio passará por uma etapa de testes, com marinheiros e comandante a bordo, para validação de seus sistemas e avaliação de segurança. A intenção dos engenheiros dos estaleiros Kongsberg, responsável pela construção do navio, é que o YA…

Sotheby’s leiloará sacola com pó lunar por mais de US$ 2 milhões

Bolsa usada por Neil Armstrong em sua primeira missão para a Lua (Sotheby's/Divulgação)

O item foi utilizado por Neil Armstrong para transportar as primeiras mostras de rochas da Lua da história, durante a missão Apolo 11

Uma sacola com restos de pó lunar que foi utilizada pelo astronauta Neil Armstrong para transportar as primeiras mostras de rocha da Lua durante a missão Apollo 11 será leiloada pela Sotheby’s, uma operadora de casas de leilão. A companhia espera arrecadar pelo menos dois milhões de dólares com a venda do item, que ocorrerá em uma sessão em Nova York, nos Estados Unidos, em 20 de junho, aniversário da chegada do homem à Lua.

O objeto, que tem uma etiqueta escrita “retorno de amostra lunar”, faz parte de uma extensa coleção de artefatos dos programas espaciais dos Estados Unidos e da antiga União Soviética que será leiloada pela Sotheby’s. Segundo a companhia, a sacola tem restos de pó lunar e de fragmentos de pedras. Com valor que pode chegar até quatro milhões …

Céu da Semana | Capricórnio | 22/05 a 28/05/2017

No CÉU desta semana o assunto é Capricórnio, um ser mitológico metade peixe, metade cabra, cuja representação é encontrada em diversas esculturas antigas. A Constelação de Capricórnio é a menor do zodíaco, e na mitologia grega, representa Pan, o deus do campo.

Todas as semanas, Gustavo Rojas, do Laboratório Aberto de Interatividade (LAbI) da UFSCar, apresenta dicas de como olhar para o céu, quais constelações estão em destaque, fases da lua e os principais fenômenos astronômicos.



FONTE: UNIVESP TV

Estamos um passo mais perto de reproduzir animais (e humanos) no espaço

Muitas pessoas querem muito se mudar para Marte. Algumas delas querem viver naquela desértica caixa de areia para sempre, o que soa empolgante, mas provavelmente deve ser um lixo. Uma coisa sobre a colônia marciana é que as pessoas precisariam se reproduzir para seguir em frente, e, felizmente para esses possíveis pioneiros, um time de cientistas japoneses deu um importante primeiro passo em direção a transformar esse sonho em realidade.

A equipe conseguiu, com sucesso, reproduzir ratos de esperma guardado na Estação Espacial Internacional (EEI) durante nove meses, de agosto de 2013 a maio de 2014. O esperma congelado foi mantido em condições extremas, recebendo aproximadamente 100 vezes a radiação que recebemos na Terra. Isso é o bastante para danificar as células sexuais, chamadas gametas, nos nossos corpos. Embora outros estudos tenham analisado os efeitos da microgravidade na reprodução de pássaros, ouriços-do-mar e até mesmo em peixes, informações sobre como a reprodução de mamí…

As ondas gravitacionais deixaram cicatrizes no tecido do espaço-tempo?

Acidentes de carro, explosões nucleares e até impactos de asteroides são relativamente insignificantes perto de alguns dos eventos mais explosivos do nosso universo. Bem, uma explosão violenta infinitamente quente é provavelmente o que colocou o universo em movimento no começo de tudo. Então, grandes colisões, como aquelas entre buracos negros com massa muitas vezes maiores do que a do Sol, podem ter consequências bem selvagens. Como deixar cicatrizes no próprio espaço-tempo.

Agora que detectores de ondas gravitacionais estão ligados e fazendo observações, é hora de usá-los como telescópios para fazer alguma astronomia de verdade. Cientistas têm muitas ideias sobre como podemos usar as ondas gravitacionais — talvez possamos descobrir a verdadeira identidade da matéria escura, ou detectar as fontes das rajadas de raios gama. Um time de físicos quer saber se uma onda gravitacional em movimento pode permanentemente alterar o formato do espaço-tempo em si. Eles até acham que podem usar a…

Cientistas projetaram bactéria para reproduzir uma imagem de Super Mario

As bactérias têm tido ótima publicidade ultimamente. Graças a várias novas pesquisas sobre sua importância para os nossos corpos, elas não são mais vistas como assassinas microscópicas sem alma. Elas são seres coloridos e mal-compreendidos vivendo juntas longe dos holofotes, parasitando nossas entranhas em troca de favores. Em outras palavras, elas são artistas.

Bom, pelo menos agora elas são. Uma equipe de cientistas do MIT tem projetado a bactéria E. coli para responder a luzes vermelha, azul e verde. Isso significa que eles podem fazer imagens coloridas só de jogar luz sobre a bactéria.


Sim, isso é uma bactéria (Imagem: Felix Moser)

Essas fotos na verdade demonstram uma biologia sintética incrível em ação. Os pesquisadores criaram e customizaram um sistema de 18 genes, separando-o em quatro partes: um gene sensível à luz para determinar que cor a bactéria deveria criar, um “circuito” para processar os sinais e um “alocador de recursos” que conecta os circuitos ao “atuador” que, de…

Microsoft supostamente quer usar DNA para armazenamento na nuvem

Em um futuro não tão distante, quando você quiser salvar seu trabalho na nuvem da Microsoft, você poderá fazê-lo com alguns trechos de DNA.

Ao longo dos últimos seis anos, cientistas viraram suas atenções para a dupla hélice na esperança de que ela possa um dia se tornar um meio de armazenamento mais eficaz para coisas além de cabelo e cor dos olhos. Em 2011, o geneticista da Harvard George Church foi pioneiro na ideia, codificando seu próprio livro, algumas imagens e um programa Javascript dentro das moléculas. Em julho passado, uma equipe da Microsoft e da Universidade de Washington conseguiu armazenar recordistas 200 MB de dados em DNA. E, neste ano, pesquisadores codificaram DNA com um filme francês de 1895, um vírus de computador e um cartão de presente Amazon de US$ 50.

Agora, a Microsoft espera comercializar a tecnologia. A companhia contou ao MIT Technology Review que planeja ter um sistema de armazenamento operacional baseado em DNA funcionando dentro de um centro de dados a…

Aquela “megaestrutura alienígena” está agindo de forma estranha de novo

Quase certamente não são alienígenas, mas, de novo, a Estrela de Tabby está agindo de forma muita estranha. A estrela, que virou uma obsessão nossa pela primeira vez em 2015 — quando o astrônomo Jason Wright sugeriu que seu estranho comportamento cintilante pudesse ser o resultado de uma megaestrutura alienígena —, está, novamente, cintilando. Mas, diferentemente de falhas estelares anteriores, os astrônomos agora estão preparados para estudá-la no ato.

O mundo foi alertado pela primeira vez sobre a mudança misteriosa na emissão de luz da estrela em um tweet de Wright, na manhã de sexta-feira (19).

ALERT:@tsboyajian's star is dipping

This is not a drill.

Astro tweeps on telescopes in the next 48 hours: spectra please!— Jason Wright (@Astro_Wright) 19 de maio de 2017
(“ALERTA: a estrela de @tsboyajian está diminuindo/Isso não é uma simulação/Twitteiros astronômicos com telescópios nas próximas 48 horas: espectros, por favor!”)

Conforme noticiado pela Popular Science, o Observatório …

Colisões entre prótons no LHC geram abundância de partículas estranhas

PARTÍCULAS FORMADAS EM COLISÃO DE NÚCLEOS DE CHUMBO, REGISTRADAS PELO DETECTOR ALICE, NO LHC. A GRANDE ABUNDÂNCIA DE HÁDRONS ESTRANHOS, DECORRENTE DO CHOQUE CENTRAL DE NÚCLEOS PESADOS, FOI OBTIDA TAMBÉM EM COLISÕES DE PRÓTONS (IMAGEM: ALICE) (FOTO: ALICE)

Concentração sugere a produção de um plasma que permeava o Universo logo após o Big Bang — mas ninguém esperava que os minúsculos prótons pudessem produzi-lo

Tudo aquilo que podemos tocar e sentir é feito de átomos. Mas o buraco do coelho que é a estrutura da matéria nos leva a níveis mais profundos. Bem mais profundos. No núcleo dos átomos, temos um amontoado de prótons e nêutrons que, por sua vez, nada mais são do que um amontoado de quarks e glúons.

Talvez estes, sim, estejam no fundo do buraco: fazem parte de um grupo de partículas que os físicos chamam de fundamentais, ou elementares. Atualmente a ciência as considera os menores componentes das coisas. Ou seja, até agora, ninguém conseguiu achar nada menor do que isso.

Em cond…

O detector de matéria escura mais sensível já feito trouxe seus primeiros resultados

Cerca de 85% da matéria que cientistas detectaram no universo vêm de algo que não conseguimos sentir ou ver. É, aparentemente, uma enorme quantidade de massa cuja gravidade dobra a luz de outras estrelas e faz as galáxias girarem estranhamente. E os cientistas querem, muito, muito saber o que essa tal matéria escura é.

Mas como se detecta algo que não podemos ver ou sentir? Se a matéria escura é uma partícula minúscula, como tantas teorias preveem, então a solução são cubas gigantes de xenônio líquido, um elemento que, normalmente, é um gás em temperatura ambiente, enterrado fundo em poços de minas ou em montanhas. E a maior cuba em funcionamento, um experimento chamado XENON1T, enterrado embaixo de uma montanha em Gran Sasso, na Itália, acabou de lançar seus primeiros resultados. Ainda não há sinais de matéria escura, mas ainda não tem ninguém perdendo a esperança.

“Acho que o mais empolgante é o fato de que o detector funciona como esperamos”, contou Laura Baudis, professora do Ins…

Hubble e outros dois telescópios se unem para encontrar lua orbitando planeta-anão

Três telescópios, incluindo o Hubble, juntaram seus poderes celestiais para encontrar uma lua orbitando um planeta-anão no Cinturão de Kuiper — região além de Netuno onde Plutão e outros diversos corpos gelados vivem. De acordo com a NASA, a lua do planeta-anão tem muito a ensinar aos cientistas sobre como as luas se formaram no início do sistema solar. Mas, infelizmente, ela não tem nome. E o nome do seu planeta, por outro lado, é horrível: 2007 OR10. Ambos precisam urgentemente de um rebranding.

Uma coisa que o 2007 OR10 tem a seu favor é que ele é o terceiro maior planeta-anão confirmado, atrás apenas de Plutão e Eris, ambos com nomes incríveis. A lista de outros planetas-anões reconhecidos inclui Makemake, Haumea, Ceres e Sedna. Uma equipe de pesquisadores observou a lua do 2007 OR10 pela primeira vez em duas imagens de arquivo do Hubble, antes de complementá-las com outros telescópios, e suas descobertas foram publicadas na The Astrophysical Jounal Letters.

“A descoberta de saté…

Sistema Solar reside num pequeno oásis galáctico para a vida, diz estudo brasileiro

POR SALVADOR NOGUEIRA

Talvez nossa existência neste planeta não seja mera coincidência. Segundo um estudo recém-publicado por um quarteto de astrônomos do Brasil, o Sistema Solar está localizado no lugar certo da Via Láctea para permitir a existência de vida — um “oásis” relativamente pequeno em meio a uma galáxia largamente inóspita.

O trabalho, aceito para publicação no periódico “Astrophysical Journal”, foi liderado por Jacques Lépine, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, e envolveu a combinação entre dados precisos de posições de estrelas jovens e cálculos detalhados de suas órbitas ao redor do centro galáctico.

A Via Láctea é uma galáxia espiral de porte respeitável, com cerca de 100 mil anos-luz de diâmetro e pelo menos 100 bilhões de estrelas, das quais o Sol é apenas uma. Todas elas estão em órbitas ao redor do núcleo da galáxia, onde reside um enorme buraco negro. Mas nosso astro-rei está bem afastado do centro, localizado a 26 mil anos-luz d…

Vergonhoso: Começa 20a Olimpíada Brasileira de Astronomia, com ‘vaquinha’ para salvar evento de foguetes

POR SALVADOR NOGUEIRA

Enquanto o Brasil se preocupa com as idas e vindas de malas de dinheiro sujo chipadas, cerca de 800 mil estudantes dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas e privadas brasileiras realizam nesta sexta-feira (19) a prova da 20a edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Mas mais uma vez o financiamento público deixou a desejar, e um dos eventos atrelados à OBA, a Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), ficou sem recursos para sua realização. Para executá-lo, os organizadores estão fazendo uma “vaquinha” na internet.

“Queremos levar a maior quantidade de informações sobre as ciências espaciais para a sala de aula, despertando o interesse nos jovens”, explica João Batista Garcia Canalle, astrônomo e coordenador da OBA.

Ao longo de seus 20 anos, o evento já teve mais de 8 milhões de participantes. Só em 2016, foram 744 mil, e a expectativa é bater o recorde neste ano. É realmente uma grande iniciativa, que envolve, além da competição em s…

FADO: uma ferramenta inovadora para reconstruir a história das galáxias

Imagem da Galáxia do Triângulo (M33), obtida pelo VST (VLT Survey Telescope), no Observatório do Paranal (ESO). Mesmo nesta galáxia espiral normal, a emissão do gás ionizado (vermelho), proveniente de regiões HII e dos braços em espiral representa uma importante fração da luminosidade total na banda do visível.
Crédito: ESO

FADO é uma nova ferramenta de análise, desenvolvida pelos astrofísicos do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) Jean Michel Gomes e Polychronis Papaderos, que usa a luz emitida quer pelas estrelas, quer pelo gás ionizado de uma galáxia, para reconstruir a sua história de formação através do uso de algoritmos genéticos. Esta ferramenta foi apresentada num artigo recente, aceite para publicação na revista científica Astronomy & Astrophysics.

"Fado" vem do latim Fatum, que significa destino, e é uma homenagem ao estilo de música, considerada patrimônio imaterial da humanidade. Cada galáxia tem um "fado" – uma narrativa da sua biog…