Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 4, 2016

Estas penas de dinossauro presas em âmbar são ridiculamente legais

Cientistas descobriram uma cauda de dinossauro com suas penas ainda intactas presas dentro de uma peça de âmbar. É absolutamente incrível.

Essas não são as primeiras penas encontradas em âmbar, mas estão em condições tão boas que cientistas podem dizer que definitivamente são de dinossauros, e não de algum tipo de pássaro pré-histórico. Essas penas podem muito bem ser os primeiros fragmentos de dinossauros não aviários (isso é, que não são pássaros) encontradas preservadas em âmbar. A descoberta, cujos detalhes foram publicados na Current Biology, lançam novas ideias sobre os detalhes das penas de dinossauros e como eles evoluíram – detalhes que não podem ser inferidos a partir de fósseis convencionais.



Incrivelmente, o autor do estudo, Lida Xinga da Universidade de Geociência de Beijing, na China, encontrou o espécime em um mercado no Myanmar no ano passado. Os vendedores do pedaço de âmbar perceberam que havia algum tipo de matéria dentro dele, e acharam que poderia ser usado como …

Este vídeo incrível te leva para uma viagem por um vale de Marte

Marte nunca pareceu um lugar tão legal quanto nesse novo vídeo da ESA mostrando o Mawrth Vallis, um vale que já teve água por centenas de quilômetros.

O Mawrth Vallis (“Mawrth” é a palavra galesa para Marte) é um vale de 600 km de largura, 2 km de profundidade ao longo da fronteira que separa as terras altas do sul e as planícies do norte de Marte. O vídeo, feito a partir de imagens capturadas pela missão Mars Express da ESA, mostra como seria fazer uma viagem por esse antigo canal poderoso de água.

A jornada começa na boca de um canal de saída de 4 bilhões de anos, e vai em direção à fonte da mais impressionante cicatriz marciana, uma área conhecida como Arabia Terra.



O planalto coberto por crateras está cheio de depósitos claros e escuros, o mais leve deles que contém pedaços de minerais de argila chamados filossilicatos. Esses sedimentos em camadas indicam a presença de água líquida no passado – e possivelmente vestígios de vida antiga.

De fato, a presença desses depósitos, e os m…

As marcas do bicho "homem" são destrutivas: As girafas estão passando por um processo silencioso de extinção

As girafas são seres magistrais — capazes até de superar o rei das selva, quando necessário. No entanto, estes mamíferos terrestres gigantes não estão sendo tratados como deveriam por nós, pois boa parte das coisas que amamos vai de alguma forma destrui-las, e agora as girafas estão morrendo por causa disso.

Nos últimos 30 anos, o número de girafas na Terra caiu 38%, de 157 mil girafas em 1985 para 97.500, segundo uma nova pesquisa populacional conduzida pela IUCN (International Union for The Conservation of Nature). Baseado nestes tristes números, o órgão mudou a classificação da girafa em uma lista vermelha de “menos preocupante” para “vulnerável”.

“Esta é uma extinção silenciosa”, afirmou Julian Fennessy da GCF (Giraffe Conservation Foundation), que ajudou na pesquisa sobre os novos números referentes a população de girafas. “A maioria das pessoas supõe que as girafas estão bem.”

De fato, as girafas têm sido esquecidas em termos de pesquisa e conservação, embora isso tenha começad…

A matéria escura pode ser mais uniforme do que se pensava

Este mapa de matéria escura no Universo foi obtido a partir de dados do rastreio KiDS, efetuado pelo Telescópio de Rastreio do VLT, instalado no Observatório do Paranal do ESO, no Chile. O mapa revela-nos uma rede expansiva de regiões densas (iluminadas) e vazias (escuras). Esta imagem corresponde a uma das cinco regiões do céu observadas pelo KiDS. A matéria escura invisível está em cor de rosa e cobre uma área do céu de cerca de 420 vezes o tamanho da Lua Cheia. Esta imagem reconstruída foi criada a partir da análise da radiação colectada de mais de 3 milhões de galáxias distantes, situadas a mais de 6 bilhões de anos-luz de distância da Terra. As imagens das galáxias observadas estavam distorcidas pela atração gravitacional da matéria escura, que ocorre à medida que a radiação emitida pelas galáxias viaja através do Universo.
Podemos ver na imagem algumas regiões escuras pequenas com fronteiras pronunciadas, que correspondem à localização de estrelas brilhantes e outros objetos pró…

Cassini transmite primeiras imagens de nova órbita

Esta imagem foi captada pela sonda Cassini da NASA cerca de dois dias antes da sua primeira passagem íntima pelo limite exterior dos anéis principais de Saturno, durante a penúltima fase da sua missão.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/SSI


A sonda Cassini da NASA transmitiu para a Terra as suas primeira imagens da atmosfera de Saturno desde que começou a última fase da sua missão. As novas imagens mostram cenas do alto do hemisfério norte de Saturno, incluindo o intrigante jato em forma de hexágono.

A Cassini deu início à sua nova fase da missão no passado dia 30 de novembro. Cada uma das órbitas rasantes - 20 no total - levam a nave espacial bem acima do hemisfério norte de Saturno antes de a enviar a "raspar" os limites externos dos anéis principais do planeta.

As câmaras da Cassini obtiveram estas últimas imagens nos dias 2 e 3 de dezembro, aproximadamente dois dias antes da primeira passagem íntima pelos anéis do planeta. As órbitas seguintes vão incluir imagens da maior aproxim…

Satélite criado por alunos de escola pública de SP será lançado no espaço

O UbatubaSat mede 13 centímetros e pesa pouco mais de 700 gramas - Cândido Moura

Equipamento vai para a Estação Internacional e ajudará em estudos do Inpe

Na manhã desta sexta-feira, às 10h26min pelo horário de Brasília, a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (Jaxa) vai lançar um cargueiro para a Estação Espacial Internacional. A bordo estará um pequeno satélite brasileiro, com 13 centímetros de altura e pouco mais de 700 gramas. O equipamento será utilizado por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para estudar a formação de bolhas de plasma na ionosfera do planeta, que dificultam a comunicação por rádio, localizadores GPS e o funcionamento de radares. Mas o que chama atenção é que o UbatubaSat foi construído por estudantes do ensino básico de uma escola municipal de Ubatuba, no litoral paulista.

— O resultado do Pisa colocou o Brasil nas últimas posições no ranking sobre o ensino de ciências. Mas aqui nós também temos uma escola onde os alunos con…

Nova versão do chip brasileiro que fará parte do LHC

O chip brasileiro está sendo testado em institutos parceiro do LHC na Noruega, Suécia, EUA, Rússia e França.[Imagem: Marcos Santos/USP Imagens]

Sopa de partículas

Engenheiros da USP estão finalizando a versão de testes do chip Sampa.

O pequeno circuito integrado - que mede 9,6 milímetros (mm) x 9 mm - será utilizado no LHC (Grande Colisor de Hádrons), o maior colisor de partículas do mundo.

O Sampa será utilizado em um dos grandes detectores do LHC, o Alice, que mede as colisões de íons de chumbo para estudar o plasma de quarks e glúons, que corresponde a um estado diferenciado da matéria, composto dos elementos mais básicos, "abaixo" dos átomos.

No plasma de quarks e glúons - uma espécie de "sopa de partículas" - os quarks não ficam confinados aos hádrons, como os prótons ou os nêutrons. "A ideia é reproduzir em laboratório um novo estado da matéria que teria existido poucos microssegundos após a grande explosão ou big-bang," explicou o professor Marcel…

John Glenn, astronauta americano, morre aos 95 anos

John Glenn em foto de arquivo da Nasa, quando voltou a botar um traje espacial (Foto: Nasa)

O astronauta John Glenn morreu nesta quinta-feira (8), aos 95 anos, nos Estados Unidos. Ele foi o primeiro norte-americano a viajar na órbita da Terra, a bordo da cápsula "Friendship 7", em 1962.
Ele estava hospitalizado há pouco mais de uma semana. De acordo com a emissora americana CNN, não foi divulgada a causa de sua internação.
O governador do estado de Ohio, John Kasich, confirmou a morte do astronauta pelas redes sociais às 12h24 (18h24, horário de Brasília). "John Glenn é, e sempre será, o último herói de Ohio, e sua passagem hoje é um momento de sofrimento para todos", disse.
Glenn também serviu durante a Segunda Guerra Mundial e voou em 59 missões de combate. Na Guerra da Coreia, também participou de 27 missões. Após o final do conflito, virou instutor de voo no Texas.
Depois disso, em 1959, foi selecionado pela Nasa para o Programa Mercury, o primeiro projeto trip…

Nova testemunha confirma a presença de UFOs em Bentwaters, em 1980

Os militares observaram luzes não identificadas entre as árvores da Floresta de Rendlesham

Ex-militar norte-americano afirma: "Era coisa de outro mundo"

O Caso Rendlesham, também conhecido como Caso Bentwaters, é mundialmente conhecido como "o Caso Roswell da Inglaterra" e aconteceu entre 26 e 27 de dezembro de 1980. Na primeira noite os oficiais John Burroughs, Bud Steffens e James Penniston observaram as evoluções de um UFO, relatando suas experiências depois para seus superiores. Na noite seguinte ocorria uma celebração de final de ano quando o vice-comandante da base, o coronel Charles Halt, recebeu a informação de que o UFO havia voltado.

As duas bases vizinhas, Bentwaters e Woodbridge, pertenciam à Real Força Aérea britânica (RAF), mas estavam sendo utilizadas pela Força Aérea Norte-Americana (USAF). Era o período mais tenso da Guerra Fria com a União Soviética e o grau de alerta era o mais elevado. Dessa forma, Charles Halt reuniu uma equipe e adentrou na f…

A busca por respostas

Ative a legenda clicando na opção circulada ou escolhendo o idioma na opção seguinte direita.


























FONTE: TED-Ed

Marte: Quarto episódio

Episódios anteriores:

Episódio prelúdio de Marte:


Os três primeiros episódios dublados:




Episódio 4:


FONTE: Canal Youtube Total Play - Documentários HD/GOOGLE PLAY ONE

Velocidade da Luz é tema de doodle que celebra descoberta de Ole Rømer‬

Doodle do Google celebra 340 anos da descoberta da velocidade da luz (Foto: Reprodução/Google)

O Doodle do Google desta quarta-feira (7) é uma homenagem aos 340 anos da descoberta da velocidade da luz em 1676, que foi atribuída ao astrônomo dinamarquês ‪Ole Rømer (1644 — 1710). Ao clicar no doodle, o usuário é levado ao resultado calculado para a velocidade da luz: 299 792 458 m / s — que representa a velocidade de propagação da luz no vácuo, simbolizada sempre pela letra c.

No doodle de hoje, vemos que as letras estão com uma fonte que sugere à antiguidade ou à Idade Média, época em que a velocidade da luz foi medida. As letras “o”, do nome “Google”, foram substituídas pelos astros Sol, Terra, Júpiter e sua lua Io, pois foram através deles que o físico começou a calcular a velocidade da luz. Clicando uma vez no doodle, vemos uma pequena animação, onde o cientista olha em seu telescópio e depois caminha pra lá e pra cá como se estivesse pensando.
Velocidade da luz no vácuo
Porém, nã…

Existe uma "Arca de Noé" de vegetais em uma ilha da Noruega

O Silo Global de Sementes de Svalbard será o herói vegetariano caso o mundo vire um filme de Michael Bay

Você já ouviu falar na Arca de Noé vegetariana? OSvalbard Global Seed Vault, em português, Silo Global de Sementes de Svalbard, é uma estrutura bem fechada e cravada em uma das ilhas de um arquipélago deserto da Noruega, no ponto habitado mais próximo Pólo Norte.

Lá dentro estão amostras das sementes de boa parte das espécies vegetais conhecidas. Construído sem fins lucrativos, ele custou 9 milhões de dólares aos cofres públicos noruegueses e foi inaugurado em 26 de fevereiro de 2008.

Sua localização exata é a montanha de Platåberget, na ilha de Spitsbergen. Sua capacidade total é de 2,25 bilhões de sementes, mas ele ainda não está tão cheio assim. Segundo o Crop Trust, fundo global de preservação da biodiversidade, se apenas uma de suas três salas estivesse com 50% da capacidade, ele já seria o maior estoque de sementes do mundo.

O local, montado em um conjunto de cavernas que…

Nós finalmente sabemos o peso imenso de nossa pegada ecológica na Terra

Deveria ser óbvio para todo mundo que a este ponto os humanos exercem um enorme impacto no planeta. Mas quanto, exatamente, é o peso de nossa pegada ecológica (quantidade de recursos necessárias para vivermos)? Pode parecer esquisito, mas um novo paper oferece uma resposta para esta questão: impressionantes 30 trilhões de toneladas.

Um estudo publicado na Anthropocene Review decidiu estimar o peso da tecnosfera da Terra — basicamente, todas as estruturas que as pessoas já construíram, modificaram ou arruinaram para poder viver em nosso planeta. Como definido pelo paper, a tecnosfera inclui tudo: de fábricas a smartphones passando pela terra que cultivamos. Ah, e também a montanha de lixo que nós criamos.

“[A tecnosfera] inclui ativos urbanos, agrícolas e marítimos usados para sustentar o fluxo de energia, materiais necessários para a vida humana e uma camada crescente de resíduos”, escrevem os autores.

Um novo tempo geológico?
A massa de tecnosfera foi estimada ao juntar informações …

Rachadura na Antártida ameaça estação britânica de pesquisa climática

A British Antarctic Survey (Pesquisa britânica na Antártida, em tradução livre) tem um problema em forma de uma enorme rachadura da camada de gelo no leste da Antártida. Dormente por quase 35 anos, a rachadura começou a crescer em 2012. Hoje, ela ameaça partir toda a plataforma de gelo que serve como base para a estação de pesquisa Halley VI. Agora, a Halley VI está sendo rebocada para outra área mais segura.

“Se [a rachadura] continuar a abrir e o gelo se romper, a estação estaria no lado errado da rachadura”, explicou Athena Dinar, uma porta-voz da British Antarctic Survey, ao Gizmodo quando questionada sobre a razão pela qual a estação metereológica está sendo movida a uma distância de 23 km para o interior. Se a rachadura fosse ignorada, a estação poderia ficar à deriva no mar.


Mapa mostra a localização atual da Halley VI, sua futura localização, e a rachadura (localizada no chasm 1 — abismo 1, em tradução literal)

Instalada em 2012 para estudar locais com temperaturas extremas e…

A NASA está construindo um robô de US$ 127 milhões para consertar seus satélites

Não se compra um computador de cem milhões de dólares sem um plano de reparos, mas é exatamente isso que a NASA faz quando manda seus satélites caríssimos para o espaço. Para garantir que os valiosos equipamentos não se tornem o lixo mais caro do sistema solar, a agência espacial está construindo um robô capaz de consertar e reabastecer satélites em órbita.

A NASA anunciou que irá fechar um contrato de US$ 127 milhões com a empresa Space Systems/Loral (SSL) da Califórnia pela Restore-L, uma nave robótica capaz de consertar, reabastecer e realocar satélites na órbita baixa da Terra, além de conseguir testar tecnologias para missões futuras. A SSL terá três anos para construir o robô, que deve ser lançado em 2020.

Sem a possibilidade de reabastecer, a vida útil de um satélite é restrita à quantidade de
propulsores que os engenheiros conseguem colocar no tanque no lançamento. Essa vida útil pode ser ainda menor se a nave tiver qualquer problema elétrico ou mecânico durante suas órbitas.…

ALMA mede o tamanho das "sementes" dos planetas

Ilustração de um anel de poeiras em redor da jovem estrela HD 142527. A poeira em torno da estrela tem uma distribuição assimétrica.
Crédito: NAOJ


Usando o ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array), investigadores conseguiram fazer, pela primeira vez e com recurso à polarização de ondas de rádio, uma medição do tamanho preciso de partículas pequenas de poeira em redor de uma jovem estrela. A alta sensibilidade do ALMA para a detecção de ondas de rádio polarizadas possibilitou este importante passo no rastreamento da formação de planetas em torno de estrelas jovens.

Os astrônomos pensam que os planetas são formados a partir de gás e partículas de poeira, embora os detalhes do processo ainda não sejam bem conhecidos. Um dos principais enigmas é como partículas de poeira, tão pequenas quanto 1 micrômetro, se agregam para formar um planeta rochoso com um diâmetro de 10 mil quilômetros. A dificuldade em medir o tamanho das partículas de poeira tem impedido os astrônomos de rastre…

Enxame galáctico embrionário imerso em nuvem gigante de gás frio

Ilustração da Teia de Aranha. Na imagem, as protogaláxias podem ser vistas em branco e rosa, e o azul indica a localização do gás monóxido de carbono no qual as galáxias estão submersas.
Crédito: ESO/M. Kornmesser.

Astrônomos que estudam um enxame de protogaláxias ainda em formação, vistas como eram há mais de 10 bilhões de anos atrás, encontraram uma galáxia gigante no centro do aglomerado que se está a formar a partir de uma sopa surpreendentemente densa de gás molecular.

"É diferente do que vemos no Universo próximo, onde as galáxias em enxames crescem canibalizando outras galáxias. Neste enxame, uma galáxia gigante está a crescer ao alimentar-se da sopa de gás frio onde está submersa," comenta Bjorn Emonts do Centro para Astrobiologia em Espanha, que liderou a equipa internacional de investigação.

Os cientistas estudavam um objeto chamado Galáxia Teia de Aranha que, na verdade, não é uma única galáxia, mas um grupo de protogaláxias a mais de 10 mil milhões de anos-luz d…

Ufologia: Relatos e Documentos

FONTE: BURN - Brazilian UFO Research Network

Ufologia nordestina em destaque! "Revista Ufologia Expansão da Consciência"

Revista Ufologia Expansão da Consciência.

O grupo de pesquisas ufológicas da cidade de Bezerros PE, esta lançando uma revista totalmente nordestina, Ufologia Expansão da Consciência. Abordando o tema principal que é Ufologia entrando também pelo campo das ciências, espiritualidade e meio ambiente, seu foco central é a casuística pernambucana, porém sendo exposto pesquisas de outros estados nordestinos como o Ceará.

A revista possuí co-editores de várias regiões do nordeste, onde são relatados casos novos e antigos não explorado pelo Ufologia de outros estados. Mais informações através da pagina do Facebook do Grupo Ufológico Bezerrense. Ufos Wilson deseja muita sorte nesta nova revista que com total certeza, será de grande valia não somente para Ufologia nordestina, como também para Ufologia brasileira!



FONTE: Grupo Ufológico Bezerrense

O brasileiro que descobriu como o Universo pode acabar

Muitos físicos e matemáticos tentam entender como o universo foi criado, mas alguns - como o brasileiro Marcelo Disconzi - buscam respostas para outra pergunta: como ele irá acabar?

O matemático brasileiro Marcelo Disconzi havia encerrado um seminário na Universidade de Vanderbilt, no Tennessee (EUA), quando foi abordado por dois professores de Física da instituição.

Thomas Kephart e Robert Scherrer elogiaram o trabalho apresentado - a solução parcial de uma antiga equação -, mas a dupla tinha em mente um novo propósito para as teorias do brasileiro.
"Você já pensou em aplicar isso à cosmologia (estudo da origem e estrutura do Universo)?", questionaram.

A pergunta pegou Disconzi de surpresa. A apresentação, realizada em abril de 2014, jogava luz em um problema criado nos anos 1950 por Andre Lichnerowicz (1915-1998), um famoso matemático francês. Trazia uma solução, uma lógica, e só.
A equação de Lichnerowicz havia sido criada para tentar descrever o comportamento de fluidos…

Céu da Semana - 05/12 a 11/12/2016

Todas as semanas, Gustavo Rojas, do Laboratório Aberto de Interatividade (LAbI) da UFSCar, apresenta dicas de como olhar para o céu, quais constelações estão em destaque, fases da lua e os principais fenômenos astronômicos.
No episódio dessa semana o professor Gustavo fala sobre a estrela mais brilhante do céu Sirius e sua curiosa relação com a primitiva tribo africana Dogons.



FONTE: UNIVESP TV

O misterioso som que desconcertou o primeiro astronauta chinês no espaço

Yang Liwei ouviu ruídos que nunca conseguiu reproduzir quando voltou à Terra (Foto: AFP)

Na solidão de sua espaçonave, em 2003, Yang Liwei ouviu ruídos que nunca conseguiu reproduzir quando voltou à Terra; cientistas também ainda não sabem explicá-los.

Imagine estar sozinho em uma pequena nave. É sua primeira vez contemplando o espaço quando, de repente, você começa a escutar barulhos estranhos.

Foi o que aconteceu com Yang Liwei, o primeiro chinês a ir ao espaço, em 2003.
Em uma entrevista recente a uma rede de televisão chinesa, divulgada pela agência de notícias estatal Xinhua, Yang contou que escutou um ruído semelhante a "um martelo de madeira batendo contra um cubo de ferro".
Ele ficou um pouco nervoso e decidiu olhar pela escotilha da nave, mas não encontrou uma explicação para a batida misteriosa.
Por mais que tentasse, nunca conseguiu decifrar o que era.
O astronauta nunca conseguiu reproduzir o som na Terra.
Ao retornar à Terra tentou, sem sucesso, recriar o som p…