Pular para o conteúdo principal

Ex-militar da Força Aérea Americana USAF e físico nuclear, declara em entrevista de TV que trabalhou com Extraterrestres



Charles Hall, um militar aposentado da Força Aérea dos EUA e físico nuclear, declarou em entrevista para um canal de TV australiano que trabalhou com extraterrestres na base da Força Aérea Nellis, no estado de Nevada.
O ex-militar falou que teve contato com três espécies de alienígenas por aproximandamente 2 anos.


Os “brancos altos” supostamente podem viver até os 800 anos e crescer até os 3 metros de altura.

A primeira raça ele descreve como sendo os “tall whites” (brancos altos). De acordo com ele, esses ETs são magros e altos (+-1,80 cm m) e por parte de suas vidas eles permanecem nesta altura, tendo uma longevitude de até 800 de nossos anos. Contudo, ao atingiram a idade de 400 anos, esses ETs reiniciam seu estágio de crescimento, podendo atingir a altura de até 3 metros, o que é ruim para eles, pois seus órgãos internos não crescem e não conseguem suprir as necessidades de um corpo tão alto, vindo assim a falecer.



Ele também alega ter trabalhado com os famosos “greys” e os “norwegians“, que é outra alegada raça de ETs caucasianos.
Ainda de acordo com Hall, no início os ETs se sentiam intimidados com a presença de humanos, assim como nos intimidaríamos ao encontrarmos gorilas na selva.
Verdadeiras ou não as declarações de Charles Hall, elas nos colocam para pensar nas outras possibilidades de vida em nosso universo.





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça histórias de pessoas que foram abduzidas por Extraterrestres

As pessoas do mundo se dividem em dois grandes grupos e um terceiro bem pequeno.

Os dois grandes grupos são: aqueles que acham que ETs existem e aqueles que acham que ETs não existem.

Correndo por fora, existe uma minoria silenciosa que se mantém quietinha, aparentemente, porque, se essas pessoas disserem as coisas que elas sabem, ninguém acreditaria nelas.

Elas fazem parte do pequeno grupo que jura de pé junto ter feito contato com seres extraterrestres.

O fotógrafo nova-iorquino Steven Hirsch, de 63 anos, é um cara que, se não acredita nessas pessoas, pelo menos acredita no direito que elas têm de contar suas histórias do jeito que quiserem.

Por isso, ele criou um blog em que entrevista e fotografa gente que diz ter sido abduzida por alienígenas. O endereço é littlestickylegs.blogspot.co.uk.

- Eu não quero que os meus leitores tenham nenhum tipo de ideia pré-concebida sobre essas pessoas até qie eles vejam suas imagens e leiam suas palavras. Minhas entrevistas mal conseguem ir além…

Arquivo Ovni: Conheça o caso das 4 crianças argentinas, abduzidas por 3 dias

Observem as bochechas raspadas no mesmo local

Crianças teriam sido levadas por três dias num TOUR GALÁTICO
Depois foram trazidas em segurança de volta à Terra!

Artigo de Jeanne Kolden
Weekly World News
18 de maio de 1992

Quatro crianças foram levadas a bordo de um Disco Voador e lhe foram mostradas as maravilhas do universo em uma viagem de três dias no espaço. Segundo um relatório de autoridades civis militares.

"Os adultos mentem, adolescentes mentem, mas crianças desta idade são incapazes de mentir, pelo menos desta forma", disse Rodrigo Ortiz, investigador especial do departamento de polícia de Concórdia, Argentina.

"Tudo indica que eles passaram este tempo em uma nave espacial. Viajaram realmente no espaço e viram atrações como turistas comuns."

"Em um ponto eles pensaram que Deus estava levando-os para o céu com ele - e que "ELE" teria ficado atrás dos controles da embarcação"

Reportagens de jornais que noticiaram o drama incrível ident…

A última coisa que o satélite perdido de buracos negros viu antes de morrer

Este ano, o Japão lançou um satélite inovador para monitorar buracos negros, mas o perdeu muito rapidamente em circunstâncias estranhas. Agora, finalmente sabemos o que o Hitomi viu antes de morrer.

Quando a JAXA lançou o Hitomi em fevereiro, cientistas ficaram animados com as possibilidades do que o satélite poderia nos dizer sobre os mistérios do universo. Ele orbitou a Terra por cerca de um mês, quando algo deu errado.

Uma série de eventos infelizes, causados por erros humanos e falhas de software, fez o satélite girar fora de controle. Apesar das tentativas de recuperar o Hitomi, ele continuou a jogar detritos para o espaço. No fim, a JAXA declarou que o satélite de US$ 273 milhões estava perdido de vez.

No entanto, quando o Hitomi morreu, pesquisadores também anunciaram que conseguiram obter alguns dados dele, e que iriam detalhá-los em estudos futuros. Alguns desses dados estão em um novo artigo na revista Nature, mostrando a observação final do satélite – e ela traz algumas im…